Central Das Cidades: 17 de agosto de 2014 CINCO VEZES MARINA SILVA SE LIVROU DA MORTE

17 de agosto de 2014 CINCO VEZES MARINA SILVA SE LIVROU DA MORTE

Marina Silva foi desenganada pelos médicos quatro vezes. Na primeira delas, tinha 16 anos e ouviu um doutor do serviço público dizer para sua tia: "A alma dessa menina já está no inferno". Uma hepatite tratada como malária deixou a jovem prostrada na cama por um ano. Os remédios destruíram seu fígado. Para cuidar da saúde, Marina teve que abandonar o trabalho na extração de borracha em Seringal Bagaço e se mudar para a capital do Acre, a 70 quilômetros dali. Ao ouvir a profecia do médico, a garota irritou-se e disse: "Eu não morro de jeito nenhum". Salvou-se. Três anos depois, contraiu nova hepatite. Daquela vez, a situação era mais grave. Teve que ser internada. Certo dia, do leito, ouviu uma conversa entre um médico e uma freira. "Ela tem cirrose e vai morrer", disse o doutor. "Vou morrer nada", respondeu Marina. Resolveu deixar o hospital e foi obrigada a assinar um termo de compromisso isentando os médicos de responsabilidade caso o pior acontecesse. De lá, Marina seguiu para a residência de dom Moacir Grecchi, então bispo da cidade, e contou que morreria, se não fizesse um tratamento em São Paulo. O bispo providenciou para que a menina de 19 anos fosse encaminhada ao hospital São Camilo, na zona oeste paulistana. Após longo período de cuidados médicos, curou-se. Em 1991, durante o mandado de deputada estadual e depois de ter enfrentado novas hepatites e malárias, Marina Silva recebeu seu terceiro aviso de morte. Sentia na boca um gosto terrível, como se chupasse moedas. Sofria de dores insuportáveis. Era virada e revirada pelos médicos do hospital Albert Einstein, centro de referência de saúde em São Paulo, e nada se descobria. Depois de incontáveis exames, detectou-se a presença de metais pesados no seu organismo. No passado, quando havia tido leishmaniose - uma doença que deixou uma cicatriz no seu nariz -, Marina tomou remédios tóxicos, que eram amplamente receitados para os doentes pobres da sua cidade natal. A fatura pela imprudência médica começava a chegar. Ela sarou da leishmaniose, mas foi contaminada por mercúrio. Marina passou um ano e oito meses deitada na cama da sogra, em Santos, no litoral paulista. No meio do calvário, descobriu-se esperando um bebê do marido, o técnico agrícola Fábio Vaz.Aos oito meses de gravidez, pesava 47 quilos. Dos médicos, ouviu que talvez não sobrevivesse ao parto. Repetiu a determinação: "Não morro de jeito nenhum". A filha nasceu prematura e Marina ficou em tal estado de debilitação que mal conseguia manter-se de pé. Três anos depois, no Senado, Marina Silva continuava com a saúde em frangalhos. Conseguia autorização especial para discursar sentada - o que é proibido pelo regimento interno da casa. Viajou para o Chile e os Estados Unidos para tratar da saúde. Não percebia nenhum sinal de melhora. Ao contrário, sentia-se até pior. Queixou-se a seu médico particular, Eduardo Gomes, de que nem mesmo a internação no Massachusetts Hospital havia melhorado seu estado. Ouviu, então, a seguinte frase: "A senhora não precisa de um médico. A senhora precisa de um milagre". Mas recentemente, veio a quinta vez em que Marina escapa da morte. Já na condição de vice da chapa encabeçada por Eduardo Campos, Marina Silva, afirmou que não embarcou na aeronave que caiu em Santos na última quarta-feira por "providência divina". "Foi providência divina, eu, Renata, Miguel e (Rodrigo) Molina, não estarmos naquele avião", disse Marina em referência aos familiares que costumavam viajar com o presidenciável. Marina é obstinada, ou predestinada a um plano em que a morte não se inclui. Se será presidente, só o passar da vida dirá. Quem viver, verá!


0 comentários:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

* Não é permitido comentários contendo;

"Difamação"
"Racismo"
"Preconceito"
"Palavrões"
ou
coisas do genero.


Obs: Se as regras forem desobedecidas o Comentário será removido.

Dúvidas, sugestões e outros assuntos não relacionados a matéria, tratar pela pagina Contato

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...